Os extremos no ranking do m² no Brasil

Rio de Janeiro continuou sendo, ao longo de todo o ano de 2013, a cidade com o metro quadrado mais caro para imóveis residenciais anunciados para venda, segundo o Índice FipeZap.

A média de preço na capital passou de 8.711 reais em janeiro para 9.937 em dezembro de 2013. Esse valor de metro quadrado equivale a um imóvel de 80 metros quadrados à venda por 794.960 reais.

Brasília ficou em segundo lugar, com metro quadrado médio de 8.670 reais em dezembro, e São Paulo veio em terceiro lugar, com 7.815 reais o metro quadrado.

A cidade mais em conta foi Vila Velha, no Espírito Santo, onde o metro quadrado médio anunciado era de 3.820 reais em dezembro. O equivalente a um imóvel de 80 metros quadrados à venda por 305.600 reais.

O preço médio de metro quadrado das 16 cidades acompanhadas pelo Índice FipeZap Ampliado foi de 7.303 reais em dezembro.

As altas nos preços do metro quadrado anunciado em 2013 nas cidades de Rio de Janeiro e São Paulo foram puxadas pelos bairros periféricos. Contudo, os bairros mais centrais das duas capitais ainda são os mais caros do país.

É o caso do Leblon (RJ), onde o metro quadrado anunciado em dezembro era de 21.963 reais, e da Vila Nova Conceição (SP), onde o preço do metro quadrado anunciado em dezembro era de 13.599 reais.

Emprego e renda ditam comportamento dos preços

O comportamento dos preços dos imóveis à venda no Brasil, de forma geral, tem sido ditado pelo crescimento da renda e pelo baixo desemprego. Isso é particularmente notável nas capitais da região Sul, onde o desemprego é o menor no país e a renda cresce acima da inflação.

Podemos usar Porto Alegre como exemplo. Segundo o IBGE a taxa de desemprego em novembro de 2013 era de 2,6%, o que é muito baixo. Já os salários, nos 12 meses terminados no mesmo mês, subiram 9% acima da inflação. É praticamente a alta observada no preço do metro quadrado à venda. Na capital gaúcha, a elevação do metro quadrado anunciado foi de 14,0% em 2013.

O mesmo fenômeno se repete em cidades como Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo.

Já em Salvador, o desemprego está subindo. Foi de 8,2% em novembro de 2013, contra 6,5% no mesmo mês do ano anterior. Já o salário médio caiu 8% em termos reais. Não é à toa que os preços dos imóveis se comportaram de forma mais tímida ao longo do ano na cidade.

Em função disso é preciso sempre manter o olho no mercado de trabalho.

Para 2014, a equipe do Índice FipeZap não espera movimentos bruscos de preços nem para baixo nem para cima.

O mercado de trabalho está dando sinais curiosos. A queda na taxa de desemprego não se deve a mais pessoas conseguindo emprego, pois a população ocupada vem se mantendo estável. O motivo é um aumento de pessoas que estão se tornando inativas, deixando de trabalhar. A criação de empregos pode estar perdendo força. Sendo assim, a queda no número de pessoas ativas deve pressionar ainda mais os salários, aumentando-os.

Vale considerar também esse fator para avaliar o mercado imobiliário em 2014. Vamos acompanhar!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s