Sustentabilidade

Quem nunca ouviu falar nessa palavra? Definitivamente, sustentabilidade tornou-se um termo “da moda”. Economia sustentável, desenvolvimento sustentável, empresa sustentável, construção sustentável etc. Mas será que estamos utilizando a palavra da maneira correta e entendemos o que ela significa?

Buscando até mesmo na Wikipédia, encontramos diversas definições: “Em anos recentes, o conceito tornou-se um princípio, segundo o qual o uso dos recursos naturais para a satisfação de necessidades presentes não pode comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras, o que requereu a vinculação da sustentabilidade no longo prazo, um “longo prazo” de termo indefinido, em princípio.”

Sustentabilidade tem a ver com continuidade. Podemos dizer que algo é sustentável quando seu impacto no meio ambiente ou na sociedade em nada interfere em ações futuras. Vejamos os exemplos:

Para que a economia de um determinado país seja sustentável, todas as pessoas envolvidas devem ter igual possibilidade de acesso aos bens básicos e ainda, nenhum processo pode interferir no bem-estar dos próximos habitantes desse país. Ou seja, tudo deve estar em perfeito equilíbrio para essa e para as demais gerações.

Na construção civil não é diferente. Um edifício só será sustentável quando sua execução e manutenção não gerar nenhum problema para essa e para as próximas gerações. Ou seja, desde a escolha dos materiais utilizados até seu transporte até o local da obra não devem poluir o meio ambiente, não devem causar danos sociais e nem mesmo econômicos àquela sociedade.

A RJZ Cyrela já aplica práticas sustentáveis em suas construções.

  • Placas solares: Previsão para instalação do sistema de aquecimento de água por meio de placas solares, com aquecimento complementar do tipo central a gás.
  • Previsão para medidores individuais de água e gás: Redução de desperdício e fácil identificação de vazamentos.
  • Dispositivos economizadores de energia elétrica: Equipamentos para racionalização e redução do consumo de energia.
  • Coleta de óleo para reciclagem: Local para a coleta de óleo de cozinha, visando a redução da poluição.
  • Gestão de resíduos: Metodologia para gestão de resíduos, reutilização ou reciclagem.
  • Desenvolvimento tecnológico: Pesquisa de novas tecnologias, soluções, materiais e métodos construtivos.
  • Coleta seletiva de lixo: Infraestrutura para seleção e armazenamento de materiais recicláveis.
  • Dispositivos economizadores de água: Itens de redução do consumo de água.
  • Coleta de pilhas e baterias usadas: Local para coleta e contato com ONGs que reciclam esses materiais.
  • Projetos para produção: Busca constante pela otimização de recursos.
  • Acessibilidade: Itens projetados para proporcionar autonomia e conforto aos portadores de necessidades especiais.
  • Bicicletário: Espaço destinado ao estacionamento de bicicletas.

Todas essas ações visam a minimizar o impacto de um empreendimento na cidade. Ainda não é possível garantir que a obra não cause nenhum dano, mas podemos estar sempre de olho em novas tecnologias e maneiras de buscar essa tão falada “sustentabilidade”.

Sustentabilidade é, portanto, muito mais que uma palavra bonita: é a condição para a sobrevivência do planeta, do homem e de seus empreendimentos.

O que você tem feito no dia-a-dia para minimizar seu impacto no planeta?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s